Curtição do cicloturismo + desafio de competição = Audax

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Desde o primeiro Audax de Floripa acompanho a trajetória randoneé do amigo e sócio Luiz Pereira, que após completar os 200 km da ilha, já fez entre outros o de 300 km em Criciúma e o treino insano de 400 km de ida e volta até Blumenau, sozinho. Este ano pretende passar dos 300, 400 e chegar aos 600 km. Apesar de admirar os feitos, até então eu não me instigava a desafiar meus limites nesta modalidade, não entendia por que testar o corpo pedalando 200 km – e ainda duvidada que fosse capaz disso.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

O Audax, desafio surgido na França, tem uma regra simples. O percurso deve ser completado a uma média de velocidade mínma de 15 km/h. Não há primeiro ou último colocados, apenas um tempo máximo para completar, que no de 200 km é de 13 h 30 m. Para ciclistas profissionais e os que treinam com frequencia, é um passeio. Para cicloturistas, manter essa média de velocidade é fácil até os primeiros 50 km, depois vira um desafio daqueles!

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Fui acompanhar o Pereira na reunião pré-Audax, na noite anterior ao evento, onde foram distribuídos os números, camisetas, planilhas. O clima era de festa, uma família de centenas de ciclistas. Gostei da descontração. Entre as palavras da noite, me tocou a história do Fabiano, que ano anterior participou de tala no pé, logo após 2 meses de gesso, e completou o Audax. Nessa momento, ouvi o clique. E não era de um pedal SPD… era eu mesmo, curioso pela brincadeira.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Conversei com o Della, incansável organizador da prova, que vendo minha empolgação abriu uma exceção pro atrasadinho: eis que o desafiante número 241 largaria dali a poucas horas. Ainda tivemos um jantar de massas e sorteio de brindes antes de disparar para casa, preparar o equipamento e ter algumas preciosas horas de sono.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Seis da manhã , lá estávamos eu, Pereira, Marcelo e Fernando de Maringá entre outros duzentos e poucos cilistas,  na checagem de segurança: placa de número, farol dianteiro, pisca traseiro, colete refletivo, capacete, tudo nos conformes.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Enquanto o sol mostrava seus primeiros raios, aquecíamos as pernas cruzando a ponte para o continente por cima. Foi uma experiência incrível, assim como pedalar pelas ruas tranquilas da Floripa-continente e São José  nas primeiras  horas de domingo.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

De volta à ilha, dessa vez pela passarela, a massa se dispersou em pequenos grupos de ritmo semelhante. Foi marcante passar pela Base Aérea, caminho mais curto e seguro entre o centro e sul da Ilha, infelizmente só permitido aos moradores do “condomínio fechado de luxo” da Aeronáutica durante os dias normais. Espero que esse privilégio acabe e em breve a população tenha direito aos caminhos de sua própria cidade.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Após repor as energias no primeiro PC, percorremos o querido sul da ilha, até a Praia dos Açores. O sol que nos acompanhou desde o primeiro minuto à chegada começou a ficar forte e optei por pedalar mais rápido antes do  calor intenso do meio-dia, alternando a ponteira com mais dois colegas, Fernandes e Danilo.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Ao chegar na Lagoa da Conceição não resisti ao lindo visual e me desgarrei para uma foto, a cada parada ou trecho de retorno dezenas de ciclistas passavam, fazendo festa.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

No segundo PC (alto do morro da Barra da Lagoa) reencontrei o Pereira, como sempre brincando e de alto astral, e dali pedalamos juntos até o final. O trecho que se seguiu (do Km 100 ao 150) foi para mim o mais duro da prova, já sentia as panturrilhas e a cada km a bunda cada vez mais quadrada…. Felizmente o trecho foi praticamente plano, com exceção do morro dos Ingleses.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Parei, tirei o tênis e o capacete, sentei na grama apoiado num coqueiro e descansei. O PC 3, em Ponta das Canas, parecia ter demorado o dobro do tempo para chegar – estava realmente cansado. Fui salvo pelo lanche, que tinha tudo à vontade – pães com geleia, maçã, banana, laranja e melancia, água e coca-cola. Eu que nunca tomo o “suco de dinossauro” , no dia me esbaldei e devo ter virado uns 2 litros ao longo dos PC’s. Só dispensei a club social recheada (com cheirinho de chulé )

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

O tal líquido que mais parece petróleo mostrou que funciona, meu ânimo aumentou nos 50 km finais e até voltei a fotografar. Num momento estávamos perto de Jurerê, era só pegar o Canto do Lamin, mas eis que a seta indicava outro caminho, uma volta gigante pela Vargem Pequena… e lá fomos nós pedalar mais e mais, e curtindo.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Em trechos como o da SC-403 de Jurerê (além dos Açores, Santinho e Ponta das Canas), era muito legal encontrar na ida os ciclistas que já estavam voltando, e na volta os que ainda estavam indo. Trocas de incentivo eram a tônica e ajudaram a passar rápido o trecho que restava.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Em Santo Antônio, paramos com o Erich para um salgado e água de côco, antes de curtir o fim de tarde típico de Cacupé: maravilhoso e cheio de subidas.  Um encontro rápido com nosso amigo Adilson e logo estávamos comemorando a última subida no Saco Grande e a chegada ao final, já na boca da noite, após 12h de pedal.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Ali, um tanto cansados e muito felizes, tivemos mais um lanche, recebemos a medalha de participação e até uma massagem pra soltar a musculatura. Enquanto iso, saudamos a chegada d@s últimas participantes, com a grande amiga Hila, que obviamente curtiu pra caramba.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Estão de parabéns tod@s da equipe de apoio móvel e dos PC’s, polícias militar e especialmente a organização, por nos proporcionar apoio inpecável e um circuito perfeito. Se para quem mora na ilha estava ótimo, fico só imaginando para os que vêm de fora.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Uma sugestão para a organização é que ofereçam junto ao Audax 200 uma modalidade mais curta de 100 km, sem validade como Brevet, para incentivar pessoas que pedalam menos a entrar nesse mundo. Tomara que tenhamos mais e mais participantes nos anos seguintes, conhecendo a ilha e a si mesmos de uma forma tão especial.

Audax Floripa 2010 by Caminhos do Sertão Cicloturismo.

Valeu, Audaxios@s!          Dudu (equipe CdS)


Veja todas as fotos:

Esta entrada foi publicada em relato de pedalada e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas a Curtição do cicloturismo + desafio de competição = Audax

  1. Dudu,
    parabéns por ter completado a prova e pelas belíssimas imagens captadas ao longo do percurso!
    Sem dúvida, tivemos um domingo divertido entre amig@s do pedal… Foi gostoso estar aí (claro, tirando a parte do “bumbum quadrado”! heheh), e teu relato descreve muito bem tudo isso.
    Que venham os próximos desafios!
    Um beijo,
    Rafaella

  2. Ah! Faço uma observação… o “desafio de competição” a que você se refere no título do texto, com base no conceito do Audax, é apenas pessoal — competir com a dor no bumbum, na panturrilha, nas coxas, com o calor, o cansaço… Afinal, o objetivo é terminar! 😉

  3. paulo delfino disse:

    pena que perdi esta moro em balneario camboriu,e pedalo direto ja fui de balneario a biguacu mas a ideia e ir mais longe adoraria pedalar em floripa,quando tiver alguma indiado do tipo me avisem por favor um abraco a todos que adoram pedalar por +que as vezes se torne sofrido mas paixao a gente nao explica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *