Relato de uma semana de Pedal e Mar pela Croácia

Em junho de 2013, Eduardo e Loreta, da equipe Caminhos do Sertão, embarcaram na cicloviagem Croácia Pedal & Mar a partir de Dubrovnik. Em seu relato, recheado de belas imagens, você terá um gostinho da aventura de 8 dias pedalando e navegando pelas ilhas do mar adriático.

Imagine viajar para um local que, além de uma natureza belíssima e bem diferente da que conhecemos no Brasil, tenha uma história vibrante de mais de dois mil anos, envolvendo todos os tipos de desbravadores, religiões e impérios.

Adicione conhecer de barco algumas das milhares de pequenas ilhas do mar azul turquesa do mediterrâneo, e ao chegar em cada uma dessas ilhas explorá-la no ritmo das pedaladas. Essa experiência intensa é o que vemos na viagem de bicicleta e barco na região da Dalmácia, sul da Croácia.

Tudo começa em Dubrovnik, antiga cidade-estado do século XIII, que viveu sua época áurea com o comércio anterior às grandes navegações.

Ali embarcamos na escuna de 100 pés (33 metros), nossa base durante uma semana de aventuras no mar Adriático.

No primeiro dia pedalamos na península Pelješac, que se diferencia das centenas de ilhas da Dalmácia por ter um pequeno istmo que a liga ao continente. Ali a produção de sal acontece desde o tempo dos romanos (na baía ao fundo da foto). Atualmente iniciou-se ali a produção de energia eólica, que visitamos de bicicleta. Detalhe: para pegar os melhores ventos, os geradores estão no topo das montanhas, a 400m de altitude – nossa primeira longa subida através da rota napoleônica.

Além das pedaladas, tivemos na viagem interessantes programas que nos ajudaram a compreender e vivenciar a cultura local, como as aulas de geografia, história e idioma croata. Além disso, a cada dia é dado um resumo da pedalada do dia e dos atrativos a visitar.

No segundo dia de viagem, fizemos uma incursão continente adentro, cruzando a fronteira bósnia e subindo o rio Neretva (esmeralda), rumo a Mostar.

Esta cidade ficou conhecida no mundo durante a Guerra da Bósnia, quando a linha de fogo entre os exércitos da Croácia, Bósnia e Sérvia ocupava as ruas  da cidade, tendo como consequência mais visível a destruição em 1993 da ponte sobre o rio Neretva, patrimônio da humanidade pela Unesco, que foi reconstruída em 2004 e hoje simboliza a paz entre os  povos da região.

Após visitar a cidade e uma das inúmeras mesquitas (a maioria dos Bósnios é muçulmana, junto a católicos romanos e ortodoxos), retornamos à costa e fizemos um delicioso passeio pelos lagos de Ploče, na Croácia.

No dia seguinte voltamos a navegar para as Ilhas, mas por conta do vento muito forte mudamos de destino e atracamos na Ilha de Hvar, que os gregos há 2500 anos atrás  batizaram de Faros e hoje é conhecida como a Ilha das Lavandas.

Começamos subindo por asfalto, mas logo passamos à estrada de terra, visitando no caminho um antigo forno de produção de cal e muitas plantações de lavanda e uva, além de flores nativas.

Como subimos bem, o guia nos presenteou com o pedal “extra”, que consistiu em seguir até o topo do monte St. Nikola, a 626m de altitude, com uma vista inesquecível.

Para coroar o dia, além da descida espetacular em meio a vinhedos, tomamos em Jelsa o que o guia Mario considera o melhor sorvete da Ilha. Pelos sorrisos e tamanho das taças, todos concordaram.

Após o jantar ainda tivemos uma visita guiada por Stari Grad (Cidade Antiga), o primeiro povoado da Ilha.

O dia seguinte iniciou com um mergulho na praia ao lado do barco em Prigadica, na ilha de Korčula, alegadamente o local de nascimento de Marco Polo e onde no mínimo ele descansava entre suas expedições.

A pedalada começou com os dois grupos (asfalto e MTB) pedalando juntos, mas logo cada um tomou seu rumo.

Enquanto o grupo dos asfalto passa mais pelas vilas, o de MTB conhece os cantos menos povoados das ilhas.

Os poucos trechos de asfalto são por estradas bem tranquilas e com visuais incríveis, mesmo na subida são um descanso para as trilhas bem exigentes.

No dia seguinte, aportamos no Parque Nacional da Ilha Mljet, onde passamos a manhã livre, podendo visitar o monastério de uma ilha de barco, caiaque ou mesmo nadando.

Como estava bem empolgado em pedalar, decidi subir na magrela e explorar os caminhos do parque.

Antes de reiniciamos a pedalada, tivemos um piquenique à beira do lago, seguido de um banho refrescante.

Já na pedalada pudemos curtir a natureza protegida ao longo de um caminho sombreado, uma bênção já que o calor estava bem forte.

Foi um dia cansativo, com muitas subidas e descidas, mas compensados pelos visuais das pequenas vilas e seus habitantes, além de joias como o lago Blastina, com um formato inspirador aos apaixonados e conectado ao mar por um canal subterrâneo.

Para coroar o dia, navegamos até uma pequena baía isolada na ilha Šipan, onde após ancorar o barco, tomamos banho mergulhando do alto do convés, relaxamos o corpo da pedalada puxada e curtimos um lindo pôr-do-sol acompanhado de vinho local.

O último dia começou preguiçoso. Uma leve pedalada até Suđurađ, onde tomamos um capuccino em um deck sobre o mar, jogando conversa fora com os novos amigos de diversos países.

Como o último trecho era bastante íngreme e todo asfaltado, aproveitamos para experimentar aquela que pôs um sorriso maior no rosto de todos que a usaram: a bicicleta elétrica.

Atravessamos para o continente e subimos novamente nas bicicletas em Slano, localizada na Riviera croata, com as construções típicas em pedra calcárea encontradas em toda a  região.

Depois de sete dias de pedal forte, foi divertido subir assobiando e sem nenhuma gota de suor. Até o guia aderiu à elétrica e fizemos um passeio bem relaxado, curtindo o visual das montanhas como se pedalássemos no plano.

À noite, tivemos o tradicional jantar com o capitão do barco, com direito a brinde de espumante e astral de quero mais.

Diante de tanta beleza e história, dá vontade de seguir o mesmo destino de Ulisses, que atraído pelo encanto da ninfa Calipso, acabou ficando sete anos na ilha Hvar. Ao menos os primeiros sete dias estão garantidos!

Gostou desta cicloviagem ? Saiba mais sobre as próximas saídas, programação,  fotos  e inscrições em nosso site:  Croácia Pedal & Mar a partir de Dubrovnik

Esta entrada foi publicada em relato de pedalada, relato de viagem e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas a Relato de uma semana de Pedal e Mar pela Croácia

  1. João H. G. Short disse:

    Belas fotos. Deve ter sido divertido.

  2. So de ver o roteiro ja fiquei com agua na boca. Lindas fotos e comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *